• Marcelly Chrisostimo

Ensino Bilíngue x Ensino Internacional: existe diferença?



Como uma brasileira que estudou em escolas brasileiras a vida inteira, chegar à graduação e "descobrir" a existência de escolas internacionais no Brasil foi uma grande surpresa. Na verdade, eu nem sabia que existia uma escola assim no mundo... Nosso círculo acaba sendo muito pequeno perto do universo de possibilidades existentes. Eu já havia ouvido falar sobre o Ensino Bilíngue, mas Internacional, nunca. Não seria a mesma coisa? Não! E eu vou explicar, mas antes, deixa eu te contar uma coisa...


Em 2 de agosto de 2012, iniciei o meu primeiro dia como estagiária de uma escola internacional no Rio de Janeiro. E para alguém que fez cursinho de inglês, mas, o mais perto que esteve de outro país foi através dos filmes e séries, o sentimento era de realmente estar em um universo paralelo.


"Do you mind if we start speaking in English?" Você se importa se começarmos a falar em inglês? Eu queria a vaga, né? Então, apesar da minha insegurança, eu sorri e disse! Claro!!! Tivemos uma entrevista inteirinha em inglês. Os alunos que entravam e passavam por ali, falavam em inglês com ela, mesmo que parecessem brasileiros. Os professores falavam em inglês. Os títulos da coleção eram em sua maioria em inglês... A sensação era de estar em outro país, não no Brasil. Acontece que após ser aprovada, a imersão nesse universo começou e eu aprendi muito com essa experiência.


Sempre que me perguntam sobre meu trabalho e eu explico, vejo algumas pessoas confundirem o ensino bilíngue com o ensino internacional. E a culpa não é delas, é confuso mesmo, muitas pessoas assim como eu, passaram anos sem ter acesso à informação de que elas existem!


O que é ser uma escola bilíngue? Por regra, bilíngue é aquele ou aquilo que apresenta dois idiomas. Se você consegue se comunicar em dois idiomas, você é considerado bilíngue. E aqui, precisamos incluir também LIBRAS e outras línguas especiais.

Segundo a Associação Brasileira de Ensino Bilíngue (ABEBI), uma escola bilíngue é aquela que ensina em dois idiomas, sendo um deles o materno (no nosso caso, o português). O aumento da carga horária de inglês não qualifica uma escola em bilíngue. Para este título, se faz necessário que outras disciplinas sejam ministradas no segundo idioma, normalmente o inglês.


Como não possuimos uma regulamentação oficial para normalizar essas práticas no Brasil, é possível ver escolas que fazem parcerias com cursos de inglês, aumentam sua carga horária e integram o ensino da língua inglesa ao seu currículo e consideram isso suficiente para se nomear uma escola bilíngue. Mas, é preciso ir além. Há a necessidade de ensino de outras disciplinas em inglês e não de inglês. As escolas bilíngues precisam seguir as diretrizes do MEC (Ministério da Educação e Cultura) dispostos na Base Curricular Comum Nacional. Esse currículo regulamenta o ensino básico no país determinando o que deve ser ensinado de forma obrigatória nas escolas brasileiras. Ou seja, as escolas bilíngues localizadas no Brasil são antes de tudo, brasileiras com o português como língua materna.


O que é ser uma escola internacional?


O conceito de escola internacional é mundial. Se você pensar em uma escola americana por exemplo, vai encontrar Escola Americana do Rio de Janeiro, Escola Americana de Lima (Peru), Escola Americana de Campinas, Escola Americana de um milhão de cidades pelo mundo.


Muitos amigos me perguntam sobre a "utilidade" dessas escolas. Imagine que você seja um funcionário de uma multinacional e a cada três anos, a empresa te transfira para um país diferente. Mas, você possui filhos e não deseja comprometer o ensino de seus herdeiros. O que fazer? É aí que as escolas internacionais se encaixam. Por exemplo, basicamente na maioria dos países em que você for, encontrará uma escola americana. Então, ao chegar no novo país, a transferabilidade dos seus filhos estará garantida.


Nas escolas internacionais, a grade curricular segue o ensino do país de origem. Por exemplo, nas escolas americanas, o ano letivo termina em junho e se inicia em agosto/setembro. As escolas costumam aceitar alunos brasileiros também, mas é preciso ter em mente que apesar de ofeecerem a opção do diploma brasileiro, o foco dessas escolas não é na preparação para o ENEM ou vestibular brasileiros e sim os vestibulares internacionais.


Segue um infográfico disponibilizado pela revista CRESCER sobre as diferenças entre as escolas internacionais e bilíngues. A coluna azul é referente ao ensino internacional, já a coluna rosa, ao ensino bilíngue.

Fonte: Revista CRESCER


Aqui no Rio de Janeiro, há algumas escolas internacionais como a americana, britânica, francesa, alemã... Tudo que eu penso quando pesquiso sobre essas escolas é: quem me dera ter tido a oportunidade de receber um ensino como esse!


5 visualizações

©2020 por Mocinha da Biblio. Orgulhosamente criado com Wix.com